Páginas

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Ano novo e a tensão

Oi geeente ! Como foi o Natal de vocês  Minha internet não colaborou para que eu fosse uma blogueira dedicada, essa será uma das minhas metas pra 2012, afinal fiz o blog pra compartilhar com vcs o que a dança me ensina.

Bom, quase não tive ceia de Natal. Foi uma correria, como voltei pro jazz, tinha aula pra caramba, terminavam tarde e ainda tinha amostra coreográfica no dia 23. Ou seja, sem tempo nenhum de ajudar o pessoal de casa nos preparativos. E sem ajuda, ceia de Natal zero. Mas no meio disso tudo tive uma das experiências mais inesquecíveis da minha vida: minha primeira apresentação num evento de dança profissional !!

Era um encontro de artistas da Bahia feito pra ajudar instituições de caridade. Só tinha feras da dança ! Muitas companhias profissionais e professores renomados estavam lá, era uma apresentação muito importante. Nunca fiquei tão nervosa em alguma apresentação e nem dancei pra uma platéia tão lotada como aquela. Lotada de bailarinos, de professores, de diretores, de apreciadores da dança. Ou seja, eu tinha que arrasar!!

Logo quando eu cheguei, me impressionei com as coreografias. Quanta perfeição! Fiquei olhando cada grupo ensaiar e pensando como seria a minha vida trabalhando com dança. Não consegui pensar em muita coisa, mas eu tive certeza de uma: que eu seria muito feliz com isso.

Na hora de passar a coreografia no meio de tanta gente experiente, fiquei ultra nervosa. Mas recebi elogios de profissionais ! Tive a sensação de que eu estava no caminho certo. Desde a maquiagem até a hora do palco foi muuuuuita tensão. Mas quando entrei no palco dei o melhor de mim, afinal era a primeira coreografia que eu dançava na frente. A platéia vibrou e eu saí consciente de que cumpri minha missão.






E as aulas de jazz estão ótimas, me divirto horrores. Acho que era isso que eu tava precisando, voltar pro jazz pra dançar como eu sempre quis. Tô adorando e só de pensar que vai entrar em recesso já fico triste.
E vou virar o ano no maior nervoso, porque o espetáculo de DV foi adiado, será em 21 de janeiro, então ainda terei muita tensão até essa data.

Bom gente é isso, bjs e até a próxima !

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Querendo o sacrifício

Oi gente ! Bom, pelo tempo que eu fiquei sem postar aqui tenho que contar as últimas novidades.
A começar pela maior: voltei pro jazz . Não consegui ficar longe !

Bom, vou dizer o por quê. Saí do jazz porque não estava conseguindo acompanhar as coreografias, a cada vez que eu fazia aulas me via dançando cada vez mais pior. Tive mais certeza ainda por causa do meu "professor-tormento": ele malmente me colocava para dançar. E quando eu ía era apenas em uma coreografia. Era difícil acordar cedo pra estar lá, me cansar horrores e ele nem reparar no meu esforço.

Só tinha forças por causa da minha melhor amiga. Rafa entrou no jazz junto comigo, e como sempre andamos juntas, éramos as duas tipo excluídas, mas que o professor fazia questão de ter nas aulas nem sei por quê. Se a gente faltasse um dia, no outro ensaio nosso lugar na coreografia já estava ocupado! Ou seja, não era moleza, era um duro sacrifício, mas que no fundo eu gostava.

Gostava. Até não aguentar mais. Estava muito difícil e além de eu não conseguir ver algum resultado fazendo aula de jazz, estava me afastando daquilo que eu mais amo : a dança do ventre.
Nos sábados de manhã tinha 2 horas de aula de jazz e mais 2 de dança do ventre, sem intervalo. O jazz me cansava muito, ficava sem disposição nenhuma pra ensaiar dança do ventre. E a última coisa que eu quero é me afastar dela. Eu amo a dança árabe, sei que é um caminho que eu posso ir fundo e não me arrepender depois. E no jazz é completamente diferente: todo mundo tem praticamente a mesma idade, é uma competição danada, todo mundo querendo impressionar o professor, mas sempre os novatos eram ofuscados pela técnica do pessoal mais velho. Lá a gente tem que lutar pra conseguir um lugar ao sol no espetáculo.

E pra mim não dava mais não. Foi muito ruim deixar o jazz, por mais difícil que fosse, lá tinha as melhores coreografias, as melhores apresentações, mas as piores aulas. Estava me esgotando, então resolvi falar com o professor e decidi sair. Pra me desapegar foi um protocolo, ainda mais porque deixei minha amiga lá sozinha. E o pior de tudo é que foi só depois da minha saída que os novatos ganharam seu espaço. Não me lembro quanto tempo fiquei longe, mas foi muito. Nesse período voltei a me dedicar a dança do ventre e me conformando em terminar a aula de clássico e espionar as coreografias lindas do jazz. Enquanto isso minha amiga evoluía cada vez mais nas aulas e eu ficava muito feliz por ela, mas triste porque queria estar com ela, evoluindo também.

Até que depois de muito tempo longe, acabei cansando de novo, só que dessa vez da falta de cansaço. Cansei de fazer as mesmas coisas que eu faço desde que entrei no ballet e não sentir. Queria voltar a reclamar das dores, a passar horas com sede, a mancar com feridas nos dedos, a acordar às 5 da manhã em pleno sábado pra ir ensaiar, enfim, queria voltar a viver a vida de um bailarino: cheia de sacrifícios e privações. Na dança do ventre não sofro, e nas aulas de clássico sou sempre a super alongada. Queria voltar a sofrer um pouquinho, afinal como diz meu prof "na dança é 99% de transpiração e 1% de inspiração!"

Fui dançar numa apresentação com o jazz esse mês meio que emprestada: as novatas não sabiam todas as coreografias e como eu lembrava de tudo (sempre é bom lembrar !) o prof me chamou. E lá fui eu. Dancei tanto, matei a saudade do pessoal e das coreografias e no mesmo dia resolvi voltar, ainda mais depois que o "professor-tormento" saiu. Pedi ao prof e ele deixou na hora. E então, fui aos próximos ensaios, já aprendi as coreografias novas, ganhei um lugar na frente (aleluiaaa!) e estou dançando muito melhor que antes.
Acho que às vezes precisamos nos afastar daquilo que nos atormenta por mais que a gente ame. Precisamos ter um tempo pra pensar e refletir (foi o que eu fiz) e nunca agir por impulso se tudo der errado (foi o que eu fiz, também!). Refleti e percebi que o meu maior erro foi ter abandonado o jazz. A dança é como plantar uma árvore: precisamos ter tempo para cuidá-la e paciência para esperar crescer. Ou seja, tempo pra treinar e paciência para adquirir técnica .

Acho que vocês nunca viram fotos minhas do jazz. Só tenho essas:

Da semana passada, já de volta ao jazz.

                                                      Há 1 ano, antes da minha saída.

Bom gente, até amanhã, com assuntos criativos (eu prometo) pra postar aqui.

                  Beijos*-

terça-feira, 15 de novembro de 2011

E talento tem idade ?

Não. Nem um aninho de vida. Ás vezes o talento em excesso nos impressiona. Pessoinhas de tão pouca idade tem aquela técnica absurda que a gente sonha em ter um dia, é incrível, não ?
Dá vontade de falar: ''poxa, ele é tão novo e já tem essa técnica toda ? " Sim, ele tem. Porque ele treinou, porque ele começou cedo. E uma pessoa que começou tarde, tipo eu, terá um processo mais lento, claro. Não é bom saber, mas pra ser um bom bailarino tem que ter os requisitos: postura, equilíbrio, condicionamento físico e tals. E isso se adquire com o tempo. Demorei pra perceber, até saí do jazz porque achei que nunca ía dançar igual a todo mundo. Mas quem começa cedo (ou beem cedo) e pratica por vários anos a consequência é virar a técnica em pessoa. Isso é fato.
Lembro que contei aqui aquela história do ''nascidos pra dançar'' e vi que no fundo não é bem assim. A dança não é pra quem tem aquele talento nato. A dança é pra todos que acreditam nela.
 E essas coisinhas tão pequenas assustam com tanta precisão nos movimentos é porque são determinados. E o segredo é um só.
Separei alguns vídeos pra gente se inspirar. E perceber que o sonho não é impossível. Sim, é difícil, é doloroso até a última gota, mas nunca será impossível.
Essas coisas fofas dançam muito. E também mostram que a determinação é a chave do sucesso


                                             Aliha Kanan, 14 anos, bailarina de dança do ventre

Adhonay Soares, 13 anos, bailarino clássico


Anastasiya Korobova, 10 anos, bailarina russa de dança do ventre

                                               
                                            
                                             Natália Kerner e Barbara Cassalli, 13 anos, bailarinas clássicas



Little Samia Gamal, (não encontrei o nome certo nem a idade) Perfeita !



Quanta técnica, não  E tão novinhos ! Pra se inspirar !

Beijos e até a próxima !

domingo, 13 de novembro de 2011

O melhor dia da minha vida .

Oi gente ! Povo lindo, que saudades de vocês. Primeiro: miiiil desculpas pela ausência no blog. Tive problemas no PC, um machucado no joelho, depois uma semana cabeluda de provas e no início de outubro, o meu niver de 15 anos e mais problemas com a internet, ufa ! Mas é falando sobre o meu sonho realizado que vou começar o post.
Bom, desde o início do ano eu decidi que queria comemorar os meus 15 anos. O tema da festa seria árabe, com direito a solo de derbake e tudo. Mas com o passar dos meses fui vendo que todo mundo estava sem condições financeiras de fazer tudo , então eu desisti. Só uma pizzazinha pra não passar em branco.
No dia 10 de outubro, o grande dia, tão sonhado e tão esperado durante anos dessa minha vida , fui ao shopping. Comprei presentes, ganhei também muitos, aliás tudo o que eu havia pedido: celular novinho em folha, câmera digital e o mais esperado, o netbook  ! (agora terei mais tempo pra vcs !)
Fui pra minha aula, como faço todos os dias normais. E lá também ganhei muitos presentes das minhas colegas\alunas, com direito a uma oração e tudo. O ensaio foi ótimo, ganhei muitos abraços, palavras de amizade, o coro do parabéns. Tinha certeza de que estava com pessoas que queriam o meu bem de verdade e estavam felizes tanto quanto eu.
Tudo muito bem, passei o niver feliz, não teve festa , mas o importante é estar feliz, com saúde ao lado da família e das que pessoas que te amam, certo ?  NÃÃO!!
Passou uma semana. Ainda estava curtindo os meus presentes, tinha exame de ballet no fim de semana e estava super nervosa (já tinha quase um mês sem fazer aulas por conta do joelho), recebendo os resultados das provas e ligações atrasadas, não tive tempo de pensar em nada. E enquanto eu estava me descabelando, o que os outros estavam fazendo ?  Organizando uma FESTA SURPRESA!!
Isso mesmo. No dia 15 de outubro, o dia do exame. Acordei nervosa, minha avó tratou logo de me mandar pra uma manicure, com a desculpa de que precisava fazer as unhas pra ir a um aniversário de uma amiga. Cheguei correndo e fui pro bendito exame. A academia estava toda decorada com bolas, que seriam para o exame. Até ajudei a decorar, não desconfiei de n-a-d-a !
Voltei pra casa e já estava na hora de me arrumar para a tal festa. E assim foi. Coloquei meu vestido novo, me arrumei toda, mas estava sem um pingo de ânimo. A família toda iria para a tal festa. Meu tio chegou para nos buscar e decidiu passar na academia para pegar algumas bandejas emprestadas. Chegamos lá e estava tudo escuro e achei estranho. E quando acendem a luz ... SURPRESAAA !!!
A minha família, as meninas do balé, da dança do ventre, todo mundo que eu tinha visto naquele dia, todos sabiam e conseguiram fingir direitinho ! Não tinha como não chorar. Foi a festa perfeita e tudo como eu sonhei.

Minha amiga Rafaela dançou pra mim um solo contemporâneo com uma música que nós amamos, e ainda ganhei uma coreografia de Smooth Criminal dos meninos do jazz. E as homenagens da minha família e do meu professor foi o melhor que eu pude receber.



Mas a maior surpresa ainda estava por vir. Acho que todos vocês que seguem aqui sabem do meu grande sonho impossível balético: dançar na ponta de tutu e tudo o que tem direito, pelo menor pra guardar na lembrança que eu vivi meu sonho de ballet, certo ? Pois bem, o pessoal me levou correndo dizendo que eu iria dançar e tinha uma roupa me esperando. Eu achava que era uma das minhas de dança do ventre.
Quando eu dei de cara, comecei a choras. Era aquilo que eu sonhei a tanto tempo que estava ali. Uma roupa de ballet, com tudo o que tinha direito: collant, tutu, meia, flores, coroa e a minha sapatilha de ponta, que trataram de pegar escondido !
Soube na hora que iria fazer um solo dançando uma das coreografias do espetáculo de ballet. Ela já estava sendo ensaiada nas aulas de ponta há um tempo, mas achei que não iríamos dançar. "Você sabe, você ensaiou nas aulas, vai lá e arrasa" foi o que eu ouvi o tempo inteiro do professor e das meninas do ballet.
Aquele era o meu dia, não tive medo de errar, só ficava ansiosa esperando a hora de realizar o meu grande sonho. Faltavam apenas alguns minutos. Quando a música começou, e eu me vi tornando o sonho realidade, me emocionei. Olhei pro rosto de cada um e senti que o que eles viam era tão lindo quanto o que eu sentia.

Dancei imaginando estar em um grande palco, uma bailarina consagrada e que emociona qualquer platéia. Sei que na realidade não foi assim, mas se estava realizando meu sonho no dia mais feliz da minha vida e nada poderia me fazer pensar que eu não era uma grande bailarina.





                  

Depois do meu grande momento, não queria que aquilo acabasse nunca. Queria estar ali a todo momento imaginando que eu cheguei aonde eu sempre quis. Teve discurso, risadas, muuitos flashes com a minha família e os meus amigos e respirar pra controlar a emoção. Foi tudo lindo, inesquecível !


Meu bolo com minhas bonequinhas: eu em três versões !

Um dia que me deu uma emoção indescritível.


A surpresa feita por todos que me amam ! Só tenho a agradecer e dizer que foi o melhor dia da da minha vida !

Nunca mais vou esquecer desse sonho.  Ainda chorei de emoção por uma semana, agradecendo a todo mundo e curtindo os presentes. Apesar de ganhado vários, os melhores presentes não foram comprados. Ganhei amor, carinho, sorrisos, homenagens, emoção e DANÇA. Não poderia ser melhor.


Bom gente, até o próximo post, vou falar mais sobre as novidades de dança, ok ?

Beijos *-


terça-feira, 16 de agosto de 2011

Leanne Benjamin




Ela lembra a Amy Winehouse !


Prometi que faria um post sobre ela e aqui está. Ela é a bailarina do primeiro vídeo de repertório que assisti no Youtube (daí começou o meu vício diário), ela dançava Coppelia pelo Royal Ballet, em 2000. E fiquei curiosa porque não a via em nenhum outro vídeo. Assistia a Cojocaru, A Makharova, a Obrastskova... e nada dela. E ela também é desconhecida dos blogs de ballet. Por isso resolvi pesquisar um pouco sobre a história dela e sua carreira.

Leanne é australiana e começou a treinar com Valerie Ransen até os 16 anos, quando entrou na Royal Ballet School. Ganhou a medalha Adeline e o Prix de Lausanne, ingressando na companhia em 1982, quando no desempenho anual da escola, dançou Giselle no papel principal, juntando-se SWRB (Sadlers Wells Royal Ballet). Dois anos depois foi promovida a solista, e em 1984 assumiu o cargo de diretora da companhia.

Já dançou os mais diversos repertórios, desde os clássicos, até aqueles menos conhecidos. Só pra se ter uma idéia, de 30 anos de carreira dessa bailarina.

Coppelia - Swanilda (seu mais famoso repertório)
Lago dos Cisnes - Odette/Odile (deve ter dado um baanho como a Odile!)
La Fille Mal Gardé
A Bela Adormecida - Aurora 
Cinderella
Anastasia
O Passaro de Fogo
Flores da Floresta
Romeu e Julieta - Julieta/Lívia
Jewels - Esmeralda
La Bayadere - Nikiya
Don Quixote - Kitri
O Quebra-Nozes - Fada Açucarada
The Ring - Brunilda

 
Arrasou na foto !

 E muuuitos outros repertórios, a maioria desconhecidos. Sobre sua vida pessoal, não encontrei muita coisa. O que se tem é que ela é casada com Tobias Round, gerente do Donmar Warehouse e tem um filho , Thomas.


Leanne em O Pássaro de Fogo

Leanne em Jewels como Esmeralda

Aqui, o vídeo mais famoso de sua carreira: dançando Coppelia, em 2000, pelo Royal Ballet.



Beijos*

sábado, 13 de agosto de 2011

O palco é tudo

Gente, voltei a me apresentar ! Começou ontem a temporada de apresentações que eu vou fazer junto com as Deusas do Harém. Voltei ao mesmo lugar em que dancei naquela vez em eu chorei achando que fui mal e tals... E vou dizer uma coisa: nunca senti tanta falta do palco ! É tão bom dançar, estar em cena como dizem os atores. È muito bom levar a dança pra outras pessoas, outros lugares. Digo que mesmo que um dia eu tiver que largar a dança, vou levar comigo para sempre as lembranças do palco.

 E me lembro muito bem da primeira vez: a foto do layout acima foi tirada justamente nesse momento. Já faz dois anos, mas nunca me esqueço. Foi como se eu tivesse uma única chance de estar ali, aproveitei cada segundo. As luzes, a platéia, tudo era muito novo pra mim e eu não tinha experiência nenhuma, mas os aplausos do público fizeram com que eu me sentisse a melhor das bailarinas. O palco é tudo !

Ontem foi super legal ! Naquele mesmo lugar da minha última apresentação que eu me achei terrível, dancei de novo. E dessa vez eu fui decidida a dançar de verdade. E eu acho que foi isso que eu fiz, pelo menos me senti muito feliz quando acabou. Ganhei até fã-clube (umas crianças que gritavam de alegria quando eu entrava rsrsrsrs) e um convite pra dar aulas de dança do ventre para os idosos ! Tô muito feliiiiiz x:D, nem sabem o quanto ! Eu amei ter voltado a me apresentar, quero dançar hoje de novo, e amanhã, e depois de amanhã....

Estas são algumas das fotos de ontem:




                                                           Beijos e até a próxima !

domingo, 7 de agosto de 2011

Pagar alguns micos ...

Faz parte da vida de qualquer artista. Eu mesma que o diga !
Acho que não existe um artista que não tenha um mico de palco pra contar. E com os bailarinos isso é a coisa mais normal do mundo. Tipo, tem uns micos de dança do ventre que são inevitáveis: o véu enroscar, o cinturão cair, a vela da taça apagar... E olha que todos esses já aconteceram comigo !
E os micos baléticos ? Você tá lá dando seu maior show nos fouettés e ... BUF ! Ou então tá lá na diagonal nos grand jetés, tropeça e ... adeus terminação perfeita . Sem falar de cair da pirueta e tals (eu já caí de várias no meio da aula).
Isso é super normal. Essas coisas acontecem com artistas de todos os tipos, vale pra experiência profissional. Se passar por essa situação, vai saber como evitar da próxima vez. Só pra citar os que já paguei dançando :

01- A saia começou a cair no meio da apresentação de fim de ano. Disfarcei, é claro.
02- Meu acessório de cabelo voou no palco. E eu arranquei com mecha de cabelo e tudo !
03- Dancei ballet com um bindi enorme na testa (aquele terceiro olho indiano). Esqueci de tirar na correria !
04- Fiz a pose final e a música não acabou . Eu ensaiei, eu juro !
06- As velas das minhas taças apagaram no meio da coreografia. Detalhe básico: eu estava bem na frente.
07- Entrei pra dançar e o som deu um pane. Acho que eu fui pé frio x:D

Esse é o maioral... Foi numa festa da família, paguei dois micos de uma vez: me embolei com o véu (tava ventando pra caramba) e a música deu um pane. Tinha uma certa hora que a música parava mesmo mas tava demorando super pra começar de novo e eu fiquei lá enrolando. Terrível, rsrsrs.
Só o início da filmagem é ao contrário mesmo, depois volta ao normal . Reparem o que o pessoal fez com o meu véu no final !







E vocês, quem tem algum mico bailarinístico pra contar ?

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Help !





Oi gente, preciso de uma ajudinha de vocês. Criei o blog do meu grupo de dança do ventre, Deusas do Harém, seu puderem sigam : http://www.deusasdoharem.blogspot.com/ , lá vai ter tudo sobre o grupo e o trabalho que fazemos com as senhoras, além de fotos das apresentações e aulas. Tá no início, vou atualizando aos poucos, mas quem puder dá um help !

Beijos*

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Allegro


Na minha aula ainda não faço allegro, só adágio. E o adágio é super fácil, pelo menos até agora. Mas morro de vontade de dançar um allegro nas aulas, acho tão lindo ! Mas é muuuito difícil, só aqueles entrecháts seguidos com echappés e cambrioles já me dão dor de cabeça.
Encontrei esse no youtube. Olha o que essas meninas pequenas do nível 5 fazem !


Se a minha aula fosse assim eu tava frita, rsrsrsrs. Ando treinando em casa umas sequências que eu mesma crio (imaginem só) pra dançar allegros. Já fiz algumas aulas em que o professor deu meio que uma introdução, mas não chegamos a ter um allegro definido nas aulas. Como a aula vai mudar, espero que ele faça um pra gente !

Novi: parece que vamos dançar um ballet de repertório. Não sei se vai ser uma história conhecida , mas estou ficando animada, amo repertórios. Mesmo que eu fique ali escondida no meio de tantas outras no corpo de baile (tipo os cisnesinhos), eu ficarei feliz, só o fato de participar de uma ballet de repertório vai ser tudo pra mim. Vai ser uma das lembranças de ballet que vou guardar (depois conto o porquê).

E vocês, já fazem allegro nas aulas? E se fazem, é muito difícil ? Digam aí.

Bjs, tô indo pra DV, até a próxima ! 

terça-feira, 26 de julho de 2011

Uma homenagem...

A bailarina desastrada que revolucionou a soul music, Amy Winehouse !

Fiquei besta com a morte dela, sempre gostei do seu estilo. Desde as músicas até a maquiagem e o cabelo maluco. Mas às vezes, a vida de um artista é difícil, apesar de toda a fama e o dinheiro eles sofrem muita pressão por conta dos fãs e da mídia. Não sabemos o que ela realmente passou na vida dela pra ter que se entregar as drogas, vários artistas que morreram cedo acabaram assim por causa disso.
Não gostei das coisas que vi no twitter, do tipo : " IMAGINA QUE LOUCO SERIA RESPIRAR A FUMAÇA DA CREMAÇÃO DA AMY ? " Gente, tenham mais respeito, apesar de que eu antes de conhecer a carreira julgava as atitudes dela, mas numa hora dessas temos que considerar o que ela nos deixou de bom : as músicas perfeitas (meu sonho é dançar You know i´m no good ! ). Portanto, nada de julgar sem conhecer, ok ?
Mas de uma coisa temos certeza: como bailarina, ela era uma ótima cantora, srsrsrs. Vi no blog Plano B que a Amy já fez ballet quando era criança, mas acho que ela percebeu que não era bem o que ela queria.
Olha a fotinha, que fofa.

   

Depois vi em algumas revistas que na turnê ela contratou um professor particular de ballet pra ajudá-la a ter mais flexibilidade, leveza e outras coisinhas que o ballet traz, além de várias fotos no google em que ela aparece passeando na rua usando sapatilhas.

 
.
Sinal de que ela adorava a dança ! Mas cá entre nós, o talento dela era cantar mesmo, rsrsrsrs

Abaixo, um vídeo que as bailarinas morreram de rir: Amy Winehouse e sua pirueta mal acabada !


pelo menos o giro saiu Amy! Que ela descanse em paz, vai fazer muita falta na música !

Beijos e até a próxima !
  


domingo, 24 de julho de 2011

Como uma primeira bailarina

                                

Desses tempos pra cá, comentei a responsabilidade que eu tenho agora de dar aulas de dança do ventre e fazer as coreografias do grupo. Fora a de sempre dançar na frente, puxando as coreografias. Mas não é por isso que eu ando me gabando por aí, sei que ainda tenho muito o que aprender e não me importo em dançar no fundão, na verdade até prefiro assim.
Mas agora vai ser diferente. O espetáculo desse ano vai contar a história da deusa Sherazead, com algumas fases de sua vida. Detalhe: eu serei a Sherazead. E serei como uma "prima ballerina" no espetáculo. Terei um solo importante que vai ser a abertura (o da sapatilha de ponta), um duo com a professora, um trio e o restante das coreografias com grupo todo. Também tô preocupada com a parte da atuação, eu vou ser a protagonista e estarei contando uma história. Vai ser como uma "dança do ventre de repertório". 
E vocês acham que eu tô tranquila ? noooon, tô super nervosa, essa vida de primeira bailarina é difíciiil.
 Não paro de pensar no meu solo, eu vou abrir o espetáculo e ainda tô no início da coreografia, tenho que ajudar a professora nos duos e solos (tô coreografando um solo de candelabro com taças e um quarteto). Às vezes fica difícil, não vem inspiração nenhuma pra montar as sequências.
Mas eu não posso deixar passar. É a oportunidade que eu tenho de mostrar que eu sou capaz e que mais tarde posso ministrar um grupo de dança do ventre. No início é difícil, mas não quero mudar nada, e no final do ano tudo isso vai ser bem recompensado com os aplausos do público. Não vejo a hora de chegar esse dia.
E enquanto ele não chega, ainda tem a maratona de apresentações em agosto e setembro. Tô ministrando os ensaios e relembrando as coreografias do espetáculo passado que elas se esqueceram. E aquele meu solo, que eu esqueci completamente, vou ter que dançar (jesuuuus !)
Se eu ganhei essa chance, é porque tenho talento e capacidade. E vou mostrar isso a todos no final do ano.

Já no ballet, tenho outras neuras, que eu vou postar depois. E aos novos seguidores, valeu mesmo, prometo que o blog vai ficar melhor.

       Bjs ♥

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Bellydance Pointe Shoes*

Eis aqui, o vídeo em que eu estou me inspirando pra dançar no final do ano. Essa é Sabah, uma bailarina que dança uma fusão de ballet e dança do ventre. É a mesma que estava dançando no vídeo deste post.


Claro que dançar assim, só em sonho. Mas será basicamente dessa forma: alguns passos de ballet (echappés, arabesques, entrelacé), movimentos de dança do ventre soltos e alguns movimentos de quadril na ponta (difíciiiil).
Tirando os fouettés e piqués, lógico. O que acharam ?


domingo, 17 de julho de 2011

Bailarinas e repertórios *

Hoje resolvi fazer um post sobre minhas opiniões entre bailarinas e meus repertórios favoritos. Depois de tempos e tempos no meu vício diário de assistir ballets no youtube formei uma lista de quais bailarinas combinam com as personagens dos repertórios. Vamos lá :

Lago dos Cisnes: NATALIE PORTMAAAN ! Mas como estamos falando de bailarinas profissionais (é um desperdício Natalie não ser bailarina) o melhor cisne pra mim é Gillian Murphy! Ela é tão ... perfeita. Frágil como Odette e má como Odile, ela foi a única que me fez dizer "uau, ela é a verdadeira rainha dos cisnes." Ponto para ela!

A Bela Adormecida: Sem dúvidaas, é Alina Cojocaru. Ela parece aquelas bailarinas de caixinhas de música de tão delicada que ela é. Uma boneca, às vezes parace intocável,rsrsrsr. Pra mim só ela consegue fazer tão bem a Aurora. Linda!

Dom Quixote: Esse eu sempre fico na dúvida entre as "ova" (Zakharova,Osipova,Semionova...) Mas a "ova" que ganha essa com certeza é a Natalia Osipova! Ela interpreta muito bem a Kitri, que é uma personagem forte e não consigo imaginar outra bailarina que não seja ela quando falam de Dom Quixote. A melhor das Kitris !

Giselle: Me desculpem a Zakharova e a Alessandra Ferri, mas quem leva essa é Polina Semionova! Quando assisti o primeiro ato com ela, nunca mais esqueci. Apesar de eu não ter encontrado o vídeo da cena da loucura com ela (que foi muito bem feita pela Ferri) o posto de Giselle é dela. Além de ser uma das minhas preferidas.

La Bayadere: Agora é que a Zakharova vai  levar! A variação de Nikiya em que ela dança em frente a fogueira é liiiinda demais! E só ela conseguiu fazer perfeitamente bem na minha opinião. O papel combina super com ela e a técnica dela é absurda. Nikiya é de Svetlana.

O Quebra Nozes: Agora chegou a hora de ser uma brasileira. E quem vai levar é ... Ana Botafogo !
Quem acha que ela é a melhor de todas as Claras levanta a mão /õ. Ela é quase uma menininha dançando, se bem que dizem que ela não dança, ela voa. Mais uma que parece até intocável de tão delicada. Liiiinda !

Bom, o post parou mas a lista não! Ainda tem Sylvie Guillem para Raymonda (descobri através da Cyndi,rsrsrs), Marianela Nunez para Fada Lilás de A Bela Adormecida (claaaro), Marianela de novo para La Fille Mal Gardée, Aurélie Dupont para a Dama das Camélias, Leanne Benjamin para Copellia (quem não conhece essa bailarina, faço um post sobre ela) e etc, etc, e etc (agora eu percebi que o post ainda não parou, rsrsrs)

Finalizando, agora de verdade, valeu pelos novos seguidores, tô tentando aumentar a quantidade mas vcs já são tudo!

Bjs e até a próxima.

sábado, 9 de julho de 2011

Agora é hora de trabalhar .:


Oi gente! Fiquei sem postar esse tempo por problemas no PC, que foi levado pro conserto e nisso acabei perdendo todas as minhas fotos (das apresentações,ensaios e etc. snif, snif). Mas ainda tenho algumas salvas, como essa acima, a mais recente da minha ponta.
Depois das férias, voltei pras aulas morrendo de saudades e animada pra voltar a treinar. E cheia de responsabilidades de professora (agora, eu virei a professora oficial das iniciantes de dança do ventre).
E estou fazendo algumas coreografias do espetáculo também. Além várias pesquisa sobre ritmos árabes (se alguém tiver alguma, manda pra mim !) e tô dando alguns pitacos no roteiro e no figurino do espetáculo.

Agora é a hora de trabalhar. De colocar as idéias em prática, pesquisar,escrever eensaiar. Eu danço no grupo há dois anos e tenho um amor muito grande por ele, por isso quero que o espetáculo saia lindo e tô adorando participar da formação dele. E a agenda de apresentações também cresceu.Só tá um pouquinho difícil conciliar isso com as responsabilidades da escola, porque agora os trabalhos aumentaram. Mas o esforço vale a pena ;)

Quanto ao ballet, voltei mais confiante e com menos medo dos movimentos difíceis. Estou me dedicando mais e com isso as dores na perna aumentam. As aulas de ponta voltam na semana que vem e não vejo a hora de começar. Falando nelas, tô treinando bastante pro final do ano e com certeza depois desse espetáculo terei que comprar outra sapatilha. Se alguém tiver uma dica de alguma marca, manda pra mim (uso a Partner 180 da Capezio).

Acho que estou melhorando bem mais a minha técnica na dança do ventre depois que começei a dar aulas. Toda semana eu pesquiso maneiras práticas de ensinar e me preocupo se elas estão aprendendo mesmo. E aos poucos tô montando meu programa de aulas: coreografei o alongamento,o aquecimento, faço revisão de passos básicos, ás vezes um laboratório de improviso exercícios de respiração ou de tremidos.
Quero aproveitar a oportunidade que a professora me deu e fazer um bom trabalho.

Bom gente, prometo que vou comentar os blogs de vcs e repassar o selinho de meses atrás que eu ganhei, rsrsrsrsrsrs.

Beijos*


quarta-feira, 15 de junho de 2011

Novidades!

Oi gente! Quero pedir miiiiiil desculpas por não ter postado, tô com alguns probleminhas....
Mas tenho novidades! Muitas! Bom, a começar pelo que aconteceu há uma semana atrás.
Como eu já tinha dito aqui no blog, saí do jazz por opção minha e foi beem difícil. Quando eu dançava lá, ensaiei durante 4 meses o novo espetáculo. Participava de duas ou três coreografias que ainda estava em processo de formação. Mas depois da minha saída, o espetáculo foi concluído e ficou lindo, gente! Ficou incrível mesmo. Confesso que me arrependi, e muuuito por ter saído.
Ali, mesmo demorando pra ser reconhecida, me esforçando muito e passando vergonha (prncipalmente rsrsrs), eu iria aprender. Com certeza. As coreografias eram de uma criatividade impressionante e eu fiquei morrendo de vontade de dançar também.
Foi uma escolha minha, não vou mudar minha decisão, apesar de estar sendo difícil mantê-la.
Só que apesar de ter saído, sempre me prestei a ajudar no que fosse preciso. E dessa vez ajudei durante o espetáculo. Nem eu acreditei: eu tive que atuar! Nunca atuei na minha vida!
Recebi um dia antes do meu professor duas páginas de texto pra decorar. Eu e ele tivemos que interpretar dois estudantes que tentam consientizar as pessoas da importância de cuidar do planeta. Eu aceitei porque eu sou muito boa de decorar textos. Mas nunca interpretei. Aceitei também porque acredito que a partir do momento em que alguém decide ser trabalhar com dança, deve conhecer outras artes ligadas a ela também.
O texto eu decorei rápido. Mas ensaiei miil vezes, não queria ser sem graça, muito menos exagerada. Falava o texto na frente do espelho o tempo todo, rsrsrsrs.
Mas acho que fui natural. Falei como se fosse eu mesma e todos gostaram. Recebi muitos elogios e foi uma surpresa, não sabia que eu tinha talento pra atuar e todos disseram que eu fui muito bem. Decidi que vou fazer teatro. Sei que vai me ajudar, e muito, na dança e vai ser ótimo pra mim como pessoa também. Sabem que quando eu era pequena, já disse que queria ser atriz? Mas desisti, acho que não era beem o que eu queria ser. No fundo, eu adoro o teatro. E vou começar no ano que vem.


(essa foto foi na hora, eu e meu professor. Na cena ia acontecer uma tempestade. Olha minha cara de quem tá assustada, rsrsrsrsrsrs)

Tenho outra novidade: vou dançar meu primeiro pas-de-deux! Não sei se vai ser algum repertório, ou coreografia normal. Mas vou realizar um dos meus maiores sonhos de ballet. Sempre quis dançar um pas-de-deux, pra mim vai ser inesquecível e tenho certeza que vou lembrar dele para sempre. Eu amo assistí-los, acho que depois do pas-de-deux do Cisne Negro (sei a coreografia toda rsrsrs), o da Fada Açucarada em O quebra-nozes é um dos mais lindos que eu já vi.
 O pas-de-deux vai ser uma homenagem a um professor que está fora do Brasil.Não vejo a hora de começar a ensaiar!
 
Bom gente é isso, valeu por vcs me seguirem e me aturarem, rsrsrs.
Beijos, e até a próxima*

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Dança e superação ´

Gente, achei um vídeo lindo nas minhas andanças no google, no blog Dança do Ventre Brasil. Conta a história de uma bailarina de dança do ventre que para vencer um câncer, teve de amputar o braço esquerdo. Mesmo com a deficiência, ela dança super bem e já é professora. E não tem vergonha de mostrar o problema, não usa prótese e assume tudo isso com muita alegria.
Vendo o vídeo, percebi como a dança pode mudar a vida de uma pessoa. A arte com o corpo pode salvar vidas, tirar alguém do sofrimento. A dança tem um incrível poder de trazer felicidade.



Um exemplo de superação. De que se amamos a dança podemos vencer qualquer desafio. Depois desse e de vários outros exemplos que vi, vou acabar com o medo e arriscar mais nos treinos:)

Beijos*

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Medo de tentar (:

Está tendo aula agora, neste momento. Mas não fui. Não fui, porque não quis. Resolvi ficar aqui e refletir sobre o ballet na minha vida. Uma hora estou feliz e sonhando com ele e logo depois quero desistir.
Me bateu insegurança hoje, uma coisa me dizendo que deveria rever meus pensamentos de que devo investir na minha vontade de ser bailarina. Escrevi no último post que vou trazer o ballet para mais perto de mim a cada aula, mas não dá. Porque eu me esforço tanto, treino tanto e pesquiso tanto, se no final isso não vale de nada?
Não queria ver a sala, as meninas e muito menos o professor. Peguei minhas fotos, textos e apostilas de dança pra ler. Peguei minhas sapatilhas pra treinar. Eu sei que eu quero a dança pra mim, mas tá difícil.

Estou cansada de fazer as mesmas coisas na aula e queria aprender mais. Fazer mais, como as outras meninas: mesmo fazendo as mesmas sequências e coreografias, elas sabem mais. Porque elas treinam, assim como eu também treino. E por que eu não consigo ?

A resposta é: o medo
Sei que posso fazer aquela pirueta tripla dos meus sonhos.Mas tenho medo. Das tentativas, das quedas que irei tomar, dos micos que eu vou pagar quando verem a minha queda. Tenho medo de tentar.
É isso que acontece comigo na aula. O medo me deixa nervosa e me faz errar. Não sou solta na aula como eu sou na dança do ventre. Aliás, na dança do ventre me sinto super à vontade na aula, dou risada dos meus erros e não tenho medo de aprender coisas novas.

Preciso acabar com isso. Amanhã tem aula de ponta. Não vou faltar, nem que o medo me impeça.
Vou treinar durante todas as aulas pra dançar no final do ano. E eu vou dançar, sem medo. 

terça-feira, 17 de maio de 2011

* Nascida pra dançar ?



Ás vezes as pessoas descobrem um talento que nem desconfiava que tinha e muito menos sonhou com ele.
Foi isso que aconteceu comigo. Eu nunca soube desde pequena que queria ser bailarina, apenas tive uma fantasia quando era pequena e ouvia minha mãe falar em me colocar no ballet por conta da minha flexibilidade. Mas eu sabia das condições financeiras e acabei esquecendo disso.
Sempre achei o ballet bonito, mas nunca pensei em poder dançá-lo. Dança do ventre então, nem se fala. Só achava incrível como as dançarinas mexiam a barriga como se houvesse um bicho dentro, rsrsrsrsrs.
Mas depois da minha primeira aula, descobri que eu adoro dança do ventre, que o ballet é lindo e dançar é o que eu amo fazer agora. E eu sei que não nasci pra isso, mas posso aprender aos poucos porque a dança está ao alcance de todos, certo?. Era o que eu pensava, até então.
Sempre fico olhando essas criançinhas que fazem ballet e já tem um talento nato, são meio que "nascidas pra dançar". Dia desses, minha vizinha de oito anos chegou aqui em casa querendo me mostrar o que aprendeu em sua primeira aula de ballet. Tipo, ela nasceu pra ser bailarina! Só fez uma aula e já sabe dar piruetas, arabesques perfeitos e ela anda pela casa na ponta dos dedos. Ela já tem corpo de bailarina e os pés superfortes.
Pensei: será que é preciso ser "nascida pra dançar" pra ser uma boa bailarina? Será que é preciso saber que quer a dança pra sua vida desde pequena? Bailarinas tardias, como a maioria das blogueiras que me seguem também não podem ser tecnicamente perfeitas?
E ainda tem a minha priminha de dois anos que assistiu uma aula pública minha de ballet e agora só quer saber de dançar pela casa. Essas duas meninas um dia vão me colocar no chão, rsrsrs.
Mesmo assim não deixo de me esforçar. Hoje na aula fui muito bem na barra, mas no centro e na diagonal errei um pouco. Mas é assim, é errando que se aprende e sei que mesmo nãosendo tão boa quanto essas bailarinas natas o ballet está ao meu alcance. E eu vou trazer pra mais perto de mim a cada aula, porque eu amo a dança.
Aqui vai um vídeo de uma "nascida pra dançar" que tem apenas 5 anos, mas já é incrível! Ela é russa (só podia ser, rsrsrs) e se chama Kaylee:


Até mais gente, bjs*

quarta-feira, 11 de maio de 2011

As primeiras vezes*~

Esses dias passei por algumas "primeiras vezes" que todo mundo tem na vida. E uma delas foi no sábado, a minha primeira apresentação na sapatilha de ponta.
Nem eu sabia. Na verdade, o professor me chamou pra fazer uma homenagem a minha mãe na apresentação dançando um solo com um saxofonista tocando. Nem sabia que era de clássico, e ele me avisou que seria na ponta dois dias antes. Marcamos um ensaio, mas não deu e eu já estava ficando triste por não ter ensaiado nada e perder a chance de dançar meu primeiro solo de clássico. Fiquei muito nervosa, treinei o máximo que eu podia e acabei machucando o dedo. Fiquei mais nervosa ainda e fui me apresentar, triste por não poder dançar por causa do dedo e por não ter ensaiado coreografia nenhuma.
De repente, vejo meu nome no cronograma de apresentação com um solo. Pensei: " meu Deus, não acredito que ele vai querer que eu dance sem ter ensaiado " Eu nem tinha levado a sapatilha!
Vi o saxofonista. Vi o meu nome escrito. Vi o professor dizendo que eu iria dançar. Tudo estava a favor para a minha estréia naquele dia e eu não iria deixar passar por causa de uma dor no pé. A coreografia, eu improvisava. Liguei correndo pra minha vó pedindo urgente a minha sapatilha. Ela chegou atrasada, eu me desesperei e quase vi a chance indo embora. Mas no final tudo deu certo.
Ensaiei a entrada minutos antes e dancei. Dancei o que vinha na minha cabeça. De todas as coreografias e os repertórios que assisti. De todos os passos que aprendi. Ouvi a música e dancei. Fiz minha mãe e minha vó chorarem e recebi os aplausos do público com a sensação de que eu fiz tudo certo. Eu senti que eu fui perfeita.
Não tenho fotos nem vídeos, minha filmagem foi perdida! Essa foi do domingo, dancei na ponta pra homenagear as mães da família e só filmaram o final. Mas uma vez, fiz gente chorar: minhas tias não aguentaram, rsrsrsrs. Mas senti que fui melhor antes do que nessa, ainda me sinto muito despreparada pra dançar na ponta e ainda me sinto. Mas fiquei feliz porque as pessoas se emocionaram. Pelo menos isso.


 E hoje, tive a minha primeira vez como professora! Agora, dou aulas de dança do ventre nas quartas-feiras pras iniciantes do grupo. Elas amaram, e pra ficar mais legal vou misturar algumas formas de ensinar do professor de ballet com as que a aprendi na dança do ventre. Vou coreografar os alongamentos e as sequências e vou fazer meu jeito único de dar aulas.

Bom gente valeu pelos comentários e obrigado aos meus seguidores, sem vcs e blog não é nada !

Bjs*

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Mesmo com a dor ...



A emoção é indescritível. Hoje tive minha segunda aula de ponta. Foi bem mais do que eu esperava, estou com mais força nos pés do que na primeira aula e meus echappés estão bem melhores! Finalmente eu consegui acabar uma aula com a sensação de missão cumprida.
Essa aula foi diferente. Eu e minha amiga chegamos e não tinha ninguém ainda. Fomos nos aquecer e ... nada. O professor chegou, deu o horário e nada do pessoal. Resultado: fizemos a aula só nós duas.
Foi ótimo, o professor corrigiu os defeitos de cada uma, treinamos uma sequência de lago dos cisnes e dançamos uma das coreografias. Os exercícios de barra foram bem mais doloridos, mas meu pé não sofreu tanto como antes, a ponteira de silicone me ajudou, rsrsrsrsrs.
Tivemos uma hora de aula, mas a vontade era de ficar a tarde toda dançando, ficamos tão felizes com o nosso progresso! Ficamos lá mais um tempinho treinando e voltei pra casa feliz, sabendo que fiz o meu melhor e que vou melhorar a cada dia.Estou tentando melhorar principalmente a minha mania de perfeição. Ballet é algo que vemos o resultado com muito tempo e esforço e a perfeição vem aos poucos. Queria ser a  primeira bailarina e a melhor de todas. Mas o importante é amar a dança e mesmo não tendo toda a técnica do mundo, amando o que eu faço eu posso ir muito mais longe.
Essa semana eu tive a certeza disso. Eu muito o ballet.
Pra terminar o post, a variação que eu amo e sonho em dançar: Svetlana Zakharova em La Bayadére

Beijos*

sábado, 30 de abril de 2011

Alegrias e decepções



Ontem tive apresentação. Eu estava bem tranquila, sorrindo. Mas foi só chegar no palco..
Todo mundo me deixa nervosa. Vem falar, desejar boa sorte e eu me vejo na obrigação de dançar perfeitamente pra que todo mundo goste. Na primeira coreografia com o grupo eu fui bem, sorri o tempo todo e estava tranquila. Mas na hora do meu solo, errei praticamente tudo. Tento em cada apresentação melhorar essa coreografia que já não é tão bonita mas acabo fazendo com que fique pior ainda.
Eu me coreografo desde quando entrei no grupo, aprendi que uma verdadeira dançarina do ventre faz suas próprias coreografias. A professora não tem nenhum trabalho, apenas mostro a coreografia e ela diz o que precisa ou não mudar. E essa não foi diferente: eu mostrei ela achou ótimo.
Mas nunca consigo dançar do jeito que ela ensinou, como eu pesquisei e ensaiei. Faço tudo diferente, nada a ver com o tipo de dança que eu quero mostrar. Mas foi ontem que eu senti que eu não estava indo bem meeesmo e assim que acabei eu perguntei ao meu professor o que ele achou. Ele, que já me deu sinais de que não estava gostando desde a última vez, disse que eu tinha que ser mais energética.Não entendi muito bem o que ele quis dizer. Eu estava muito lenta ou muito mole ?
Dancei a última com o grupo me sentindo bem mal e acabei a apresentação péssima. Chorei pensando porque eu ia mal nessa coreografia se eu sabia os movimentos e a professora sempre dizia que estava ótimo se não estava ? E porque todo mundo fala que eu dancei muito bem se eu não dancei ?Ouvi conselhos de que essa crítica negativa dele ia servir pra me ajudar a melhorar.
 A verdade é que eu só penso na técnica. Se eu erro um battement na aula, eu sou uma péssima bailarina. Se eu não consegui fazer exatamente como a professora ensinou eu não sirvo pra nada. Quando eu tenho a técnica do movimento, eu danço bem, mas quando não tenho fico nervosa e erro tudo.
 Sim, eu sou perfeccionista. Eu quero ser perfeita na coreografia inteira. Me dizem eu me cobro demais, eu sei que eu me cobro, mas eu nunca mais saí do palco com a sensação de missão cumprida como eu senti na minha primeira apresentação. E eu quero sentir que eu fui bem. Que eu fui perfeita. 
Bom, não tive só decepções. A imprensa nos fotografou ontem durante as apresentações e hoje saímos em uma jornal da cidade! Nossa fiquei muuito feliz, não paro de me olhar na foto em que eu saí na frente! já recortei a notícia e guardei pra lembrar, rsrsrsrs.
E outra: surgiu uma oportunidade de eu dar aulas de ballet para crianças! Ainda não está certo e também pelo pouco tempo de experiência que eu tenho seria muito cedo. Mas são só as noções básicas do ballet, plié, tendu, as posições,essas coisas. Primeiro vou falar com o professor. Vai ser um trabalho voluntário e eu queria muuito começar dar aulas.
O que vcs acham ?

Beijos *

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Selinhos !

Demorei pra postá-los ! Ganhei dois selinhos. Este eu recebi da Bruh, do blog  Meus Ideais


Regrinhas: 
- Dizer uma frase doce 
"Se eu soubesse o que as coisas significam, eu não teria necessidade de dançá-las"

E este eu recebi da Mari, do Stori and Advice :

Regrinhas :
1) Repassar para outros blogs
Indico a todos do primeiro selinho ! 
 
2) Responder as perguntas

Nome: Clara Vitória
Idade: 15
Melhor música: I Am - Cristhina Aguilera 
Melhor livro - Crepúsculo
Cor: Rosa.
Seu melhor passatempo: You Tube ! (rsrsrs) 
O que você acha do Tutorizar  : Olhei, gostei e segui !

Meninas, valeu pelos selinhos, muuito obrigado mesmo !
Beijos *

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Espetáculos de dança na visão de quem dança ...


  Espetáculo "Corpo Vivo Carrossel das Espécies", de Ivaldo Bertazzo.

É outra coisa ! Totalmente diferente de um espectador normal. Um bailarino quando assiste a um espetáculo de dança consegue captar mais a energia, vibra com os movimentos e se emociona mais, isso porque ele imagina estar ali dançando também. Essa semana, assisti ao espetáculo Carrossel das Espécies, de Ivaldo Bertazzo.
Os movimentos tinham muuuito sincronismo e eles dançavam em perfeita harmonia. A técnica deles também era muito evidente, faziam com que os movimentos mais difíceis e meio que impossíveis se tornassem simples. A expressividade também era demais, eles até gritavam enquanto dançavam. Estavam mesmo sentindo a música e dançando com a alma.Os figurinos eram lindos, amei tudo.
Mas acho que não captei a energia, vibrei e nem me emocionei. Talvez seja porque não era o tipo de dança que eu me vejo dançando daqui a 5 anos. Imaginei que se este fosse um espetáculo de ballet clássico a minha emoção seria muito maior, porque tenho amor mais forte pelo clássico do que pelo contemporâneo.
O que eu senti ao ver aquilo foi nervosismo,surpresa e no final admiração ao ver um grande show de dança. Mas percebi, depois de ter observado que não era desse jeito que eu sonhava com meu futuro nos palcos. Amo o contemporâneo, mas amo muito mais o clássico.
Fui assistir com todo o pessoal do ballet. Como esse é o mês da dança, aqui em Salvador está acontecendo o Festival Internacional Viva Dança, que tem espetáculos gratuitos durante o mês inteiro. Já tinha assistido o Naturalmente, de Antônio Nóbrega, que foi lindo também, falando sobre as danças regionais.
Bom gente, aproveitem o mês da dança e se divirtam no teatro. E se dançam nesse mês, se divirtam nos palcos.
                        Beijo gente *-*


domingo, 17 de abril de 2011

primeira aula de ponta (e a busca pela ponta perfeita).



Oi gente ! Não via a hora de poder contar que essa semana tive minha primeira aula de ponta ! Na terça-feira da semana passada, voltei ao ballet depois do acidente e o professor comunicou que teria aula de ponta na quarta .Tive que fazer um grande esforço poder ir, tinha prova pra estudar e meu pé não estava totalmente recuperado. Mas mesmo assim eu fui, nem me lembrava da prova, só conseguia pensar que naquele dia iria fazer minha tão esperada primeira aula de ponta.
Cheguei no horário e fui me aquecer com uma colega. Não via a hora de começar logo, ansiedade era muita.
E a aula foi ótima! Claro que não fui bem 100%, como todo mundo também, mas senti que ali seria o início de um novo caminho. Não iria mais me sentir uma anormal com roupa de ballet e sim uma verdadeira bailarina, mesm não tendo toda a técnica suficiente. Eu me senti bailarina. Senti que eu amo cada vez mais o ballet.

 Algumas colegas minhas já tinham feito aulas de ponta mas eu não pude fazer. Nesse tempo treinei sozinha mesmo. Mas não me conformo porque tenho a sapatilha já faz 6 meses e ainda estava muito dura. E ainda passei por aquele probleminha da ponteira. Quando ganhei a sapatilha (Capézio Partner 180), ganhei também a ponteira de espuma. Mas estava sentindo muitas dores quando treinava e então comprei uma de silicone. Não sentia dores, mas ela era muito grande para caber na caixa da sapatilha e ficava muito apertada no meu pé. Como eu sempre soube que sapatilha apertada demais prejudicava o desenvolvimento da ponta, fiquei com a ponteira de espuma mesmo. Nunca conseguia ficar muito tempo treinando porque doía demais. Fiz a aula com ela e meus dedos estão praticamente comidos!
Mas ontem, tentei treinar mesmo com os dedos machucados. Como tinha lavado minhas ponteiras de espuma e estavam secando, peguei as minhas de silicone que há muito tempo não usava. Consegui ficar mais de uma hora treinando e ainda amoleci minha ponta direita ! Agora, não sei se devo continurar com a de espuma ou mudar pra de silicone. Já pensei em trocar de sapatilha porque ela não é pra iniciantes, mas não temos condições no momento de comprar outra.
Agora entrei na dura batalha de achar a ponta perfeita. Acho que não é essa ainda, mas é com a experiência, muitas feridas, calos e bolhas depois, que conseguimos achar. Não vou me desesperar, a busca ainda só está no começo !

           Beijos pra todas*-*

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Há males que vem para o bem *

 No último post, eu escrevi um pouco sobre o que eu senti durante essas duas semanas em que fiquei longe de tudo e todos. A verdade é que na semana retrasada, sofri um pequeno acidente: fui atropelada por um carro quando estava indo para o ballet.
Não foi nada grave, apenas alguns hematomas e uma cicatriz no pé pra colecionar (já tenho 4!, rssrs). Fui socorrida pela motorista, que fez questão de conversar com o pessoal lá em casa e se ofereceu pra me ajudar em tudo. O meu maior medo foi de ter que me afastar do ballet, pois tive suspeita de fratura exposta. Até chorei só de pensar. Mas o legal de tudo isso é que ela (a motorista) é uma pessoa super legal, fizemos amizade rápido, e acreditam que ela vai começar a fazer dança do ventre comigo ? Pois é, há males que vem para o bem.
Fique de atestado médico por uma semana, mas como ainda estava sentindo dores fiquei mais uma semana em casa. 15 dias de puro tédio, sem escola,internet e principalmente sem dança. O que fiz de bom pelo menos foi assistir a vários filmes de ballet que meu professor me emprestou. E um deles era Cisne Negro (ainda não tinha assistido, rsrsrs) e fiquei muito chocada com o filme. Já virou o meu preferido, apesar de já ter dito que não gosto de o lago dos cisnes. Ainda farei um post especial sobre o isso e vou explicar o porquê.
Nessa última semana, teve uma apresentação, na qual até então não iria participar por causa das dores no pé. Mas um dia antes, estava me sentindo melhor e resolvi preparar um solo de dança do ventre surpresa para o professor. E dancei as três coreografias do espetáculo com o grupo. Não pude dançar com o ballet porque não pude ensaiar.
 Mas a apresentação foi linda, pena que as fotos não prestaram (todas tremidas !)
E hoje, voltei às aulas de dança do ventre. Foi ótima. Me senti bem durante toda a aula e ainda ensinei uma técnica a elas de movimentos de braços. Elas adoraram!
Essa é uma das fotos minhas da apresentação :


Gente, valeu mesmo pelos comentários, beijos pra todos *

domingo, 10 de abril de 2011

Longe de mim ...

Fiquei vazia. Triste, sem sossego, sem ter o que fazer. E durante essas duas semanas, sem dança, sem internet, sem ver os amigos, fiquei muito solitária. O blog é aonde eu despejo minhas tristezas e compartilho minhas alegrias mas nem isso eu tive. A solução foi sonhar, e lembrar que daqui por diante vou correr mais ainda atrás dos meus sonhos, pois um dia sem lutar pelos seus sonhos é um dia perdido, assim como um dia sem sorrir.
Mas estou de volta. Forte e com muita esperança. Feliz por saber que não irei me afastar do que amo. Sonhando cada vez mais com o futuro e também com muito medo dele, mas nem por isso irei deixar de tentar alcançar os meus objetivos. Durante esses dias, não fiquei longe da dança e sim, longe da vida, pois a dança é a minha vida. Longe de tudo o que me deixa feliz. Longe do que me completa. Longe de mim.
Estou cada vez mais convencida de que eu amo o que faço e de que o medo e a tristeza dará lugar a vários sorrisos, abraços e beijos. Voltarei com a certeza de que esse é o meu futuro e aconteça o que aconteçer, não irei me afastar dele por nada. De uma forma ou de outra, esse é o meu caminho.
           By: Clara V.

Cena do filme Cisne Negro, de Darren Aronofsky.

Um beijo pra todos que acompanham o blog, vcs me dão tantos conselhos, obrigado a cada um de vcs !